Apresentação

O que é o CICPRIS?
Centro de Investigação em Ciência Política, Relações Internacionais e Segurança

1

«O Centro de Investigação em ‘Ciência Política, Relações Internacionais e Segurança’ (CICPRIS) é uma Unidade de Investigação que integra cerca de meia centena de investigadores do Departamento de «Ciência Política, Segurança e Relações Internacionais» da FCSEA da ULHT e da ‘Faculdade de Direito e Ciência Política’ da ULP e que dispõe, além dos órgãos próprios, de um Conselho Consultivo Internacional, composto por Professores de onze prestigiadas universidades (doze Faculdades) europeias. Dispõe também de um órgão Oficial, a Revista «ResPublica», em nova série, com 13 números publicados, 5 dos quais já na nova série. O Conselho Editorial da «ResPublica»integra investigadores de inúmeras universidades estrangeiras, incluídos os que estão presentes no Conselho Consultivo Internacional do CICPRIS.

2

Este Centro tem em curso vários programas de investigação (ver, na secção Investigação do «Site») que vão da ciência política à segurançaà religião, aos estudos africanos e lusófonos, às relações internacionais. Trata-se de investigação fundamental, mas também de estudo de casos e de estudo comparativo de casos, tendo em vista promover soluções para os agentes que, no terreno, se ocupam profissionalmente destas áreas de investigação.

3

Os grandes objetivos do CICPRIS consistem em promover a investigação junto dos docentes da ULHT e da ULP, e em geral no Grupo Lusófona, apostando fortemente na internacionalização, através da criação de uma rede com Universidades estrangeiras em parceria activa, quer no plano da mobilidade de investigadores e em parcerias na produção de eventos científicos internacionais quer no plano da criação de uma rede interuniversitária de Revistas científicas, onde os investigadores possam publicar os resultados das suas investigações em regime de monitorização científica.

4

Outro objetivo relevante consiste em estabelecer protocolos de cooperação com universidades, instituições e empresas prestigiadas, quer a nível nacional quer a nível internacional, com vista ao desenvolvimento dos programas de investigação orientados para a prestação de serviços altamente qualificados.

5

Este Centro, acreditado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia pretende orientar a sua atividade para áreas pioneiras de investigação em Ciência Política, segundo três eixos fundamentais: (a) mutações estruturais do fenómeno político na sociedade em rede, (b) Estado, Integração Regional e CPLP dos Sistemas Comunitários à Revolução Tecnológica, à nova ordem mundial e (c) as modernas tendências na área da segurança à luz das mutações estruturais do Estado, da globalização e da revolução tecnológica.

6

Atendendo às caraterísticas do Grupo Lusófona, em que se insere o CICPRIS, aos protocolos institucionais do Grupo com instituições internacionais, como a CPLP, de que a ULHT é Observador Consultivo, ou empresas nacionais, como a empresa de sondagens «Eurosondagem», com empresas como a multinacional “Securitas, SA” (protocolo assinado), com Associações, como a Associação Nacional dos Movimenbtos Autárquicos Independentes (AMAI – protocolo assinado) ou, ainda, com instituições como a “Fundação Instituto Gramsci” (Roma, Itália; protocolo assinado), mas também, além da numerosa população estudantil de origem africana na ULHT, uma das maiores comunidades universitárias estudantis de origem africana à escala europeia, à forte presença do Grupo nos Países da Lusofonia, através de mais de 20 instituições de Ensino Superior, o Centro desenvolverá protocolos de cooperação para a investigação com estas instituições do Grupo nestes países, envolvendo os seus docentes, investigadores e estudantes nos concretos projetos de investigação.

7

Assim sendo, a investigação promovida pelo CICPRIS será internacionalmente orientada em duas direções complementares, colocando-se como instituição-charneira entre o espaço da CPLP e a União Europeia, e terá ao mesmo tempo o caráter de investigação fundamental com uma componente complementar de investigação aplicada».